Instrução Leonística

CL Nelcy Pereira Guimarães *
No meu livro "PELOS MEANDROS DO PROTOCOLO" - publicado em 1996, hoje totalmente esgotado, aguardando nova edição, inseri no capítulo VII, uma palestra subordinada ao título "REUNIÕES: O QUE FAZER PARA MELHORÁ-LAS?" por mim proferida por ocasião do III Fórum de Desenvolvimento de Líderes, realizado em 11 de outubro de 1986, na cidade de Volta Redonda - RJ, sob o patrocínio da Assessoria de Líderes do então Distrito L-3, orientada, na época, pelo saudoso CL Antônio Augusto de Lima Neto, governador do Distrito L-Centro-1 no AL 1959/1960. Na parte relativa às Assembléias Administrativas ou de trabalho, abordei em um dos itens, como não poderia deixar de ser, o item "Instrução Leonística", que vai a seguir transcrito:

"Cinco minutos, no máximo, para a Instrução Leonística, porque, mais do que isto, é "torrar" a paciência dos companheiros.

Como é evidente, ela deve ser preparada com a devida antecedência (o que, lamentavelmente, nem sempre ou quase nunca acontece), e, de preferência, não deve ser lida, mas sim exposta de maneira simples pelo companheiro designado para proferi-la, que deverá dispor de um roteiro para não perder o fio da meada. Tal procedimento, a nosso ver, oferece as seguintes vantagens:

  1. Obriga o CL a pesquisar e a se preparar convenientemente;
  2. faz com ele se aprimore um pouco mais no conhecimento da doutrina leonística;
  3. é mais simpático para os CCLL ouvintes;
  4. é fator importante para desinibir o companheiro, que, assim, vai se acostumando e se preparando para, quando necessário, enfrentar outros públicos.
Para a Instrução Leonística (ou Prática Leonística, segundo o CL Pedro Affonso Mibielli de Carvalho, governador do Distrito L-Centro 2 no AL 1960/1961, o qual, para gáudio nosso, se encontra aqui presente entre nós), nada melhor do que a receita do CL Lima Neto, contida no seu excelente livro "LEONISMO E LIDERANÇA". Vejamo-la, sem maiores comentários:
  1. Boa aparência.
  2. Timbre de voz adequado.
  3. Boa dicção e cuidado com o microfone.
  4. Não falar caminhando.
  5. Escolher um tema interessante sobre o qual tenha domínio.
  6. Preparar, antecipadamente, uma alocução;
  7. Despertar o interesse do ouvinte.
  8. Usar parcimoniosamente o humor.
  9. Ser lógico e coerente.
  10. Não confundir veemência com rispidez.
  11. Usar linguagem simples.
  12. Não ser dogmático.
  13. Ser breve".
Se não comentei no meu livro os tópicos da receita do CL Lima Neto, faço-o agora:

Boa aparência - É evidente que um companheiro que se preza deve preocupar-se, sempre, em qualquer circunstância, com sua boa aparência, nela incluída não só o seu vestuário, como, também, de modo particular, o seu aspecto pessoal. Dele não se exige como é óbvio, quando designado para proferir uma Instrução Leonística numa reunião normal do seu clube, que esteja formalmente vestido, bastando que esteja adequadamente trajado, como os demais companheiros. É claro que, deixando momentaneamente de lado o tema Instrução Leonística, em ocasiões especiais como, por exemplo, nas solenidades de abertura de convenções, nas reuniões festivas solenes de seu clube e de clubes co-irmãos, como palestrante convidado em convenções, seminários, fóruns ou em quaisquer outras cerimônias importantes de caráter leonístico, de modo particular naquelas em que haja convidados estranhos ao Lions, o traje formal é indispensável. É sempre bom lembrar que, em tais oportunidades, a "boa aparência " contribui, eficazmente, para manter o "status" do Lions.

Timbre de voz e cuidado com o microfone - O timbre de voz varia de pessoa para a pessoa. Definido no Novo Dicionário da Língua Portuguesa Novo Aurélio - Século XXI como "Qualidade da voz que lhe confere maior ou menor pureza, amplitude e riqueza sonora", o companheiro designado para proferir uma Instrução Leonística, uma alocução ou uma palestra deve esmerar-se para adequar o seu timbre de voz ao tipo de preleção para a qual foi designado, levando em consideração, ainda, o ambiente onde ela será proferida. Uma voz inexpressiva, esganiçada, muito alta ou muito baixa em nada contribui para o sucesso daquilo que se quer expressar por palavras.

Boa dicção e cuidado com o microfone - A arte de pronunciar corretamente as palavras, de falar com articulação e modulação apropriadas, isto é, a chamada boa dicção, é fundamental para o sucesso de qualquer tipo de fala.

O cuidado com o microfone, de outra parte, quando ele está presente, é outra preocupação que deve ter quem faz uso da palavra em público. Antes de qualquer coisa, ele deve estar em perfeitas condições de uso, vale dizer, devidamente testado por alguém, antes do início de qualquer evento leonístico, o que nem sempre acontece, fato que contribui, muitas vezes, para que falhe na hora em que dele mais se precise. Se usado, deve-se ter o cuidado de aproximá-lo adequadamente da boca para que a voz chegue "limpa" aos ouvidos dos presentes.

Não falar caminhando - Isto, normalmente, não acontece no caso de uma Instrução Leonística, quando o companheiro fala do lugar onde se encontra, ou, no máximo, de uma tribuna, quando esta existe.

Escolher um tema interessante sobre o qual tenha domínio - Nos clubes bem organizados, é feita uma previsão, para todo o AL, não só quanto aos temas para a Instrução Leonística nas reuniões de assembléia, como, também, dos nomes dos companheiros designados para proferí-las, o que é altamente recomendável. Nesse caso, não há que falar em "escolha de um tema interessante sobre o qual tenha domínio". Quanto ao citado domínio, cabe ao companheiro previamente designado para proferir a Instrução Leonística, fazer a pesquisa de que anteriormente falamos, preparando-se, assim, com a devida antecedência, para o bom desempenho da missão que lhe foi atribuída.

Preparar, antecipadamente, uma breve alocução - Este item está diretamente ligado ao que foi dito no item anterior.

Despertar o interesse do ouvinte - É claro que nem todo companheiro tem o dom de despertar tal interesse, mas, se seguir fielmente o que já foi dito e o que ainda será dito, conseguirá, sem sombra de dúvida, sucesso na empreitada para a qual foi designado.

Usar parcimoniosamente o humor - Desde que seja um humor sadio, despido de qualquer conotação política, religiosa ou que fira princípios morais, usado em momento oportuno, ele pode, sem dúvida, contribuir para enriquecer a Instrução Leonística e despertar o já citado interesse do ouvinte. Mas, muita atenção, é indispensável que o companheiro tenha pendor para utilizar tal recurso.

Ser lógico e coerente - O encadeamento das idéias e a coerência são fatores indispensáveis para o êxito de uma boa Instrução Leonística.

Não confundir veemência com rispidez - O entusiasmo pode, às vezes, levar o companheiro às raias da impetuosidade, à veemência, o que, na verdade, é pouco comum ocorrer em uma Instrução Leonística. É admissível, no entanto, em termos altamente educados, mas pouco ou nada aconselhável. Quanto à rispidez, nem pensar. É sinal de falta de educação e de controle e, como tal, simplesmente desprezível.

Usar linguagem simples - Linguagem arrogante, bombástica, eivada de gongorismo não tem mais lugar nos tempos hodiernos. Simplicidade acima de tudo deve ser a meta de uma Instrução Leonística.

Não ser dogmático - Dogma, ensinam-nos os léxicos, é ponto fundamental e indiscutível de qualquer doutrina ou sistema. Não cabe, pois, ser analisado em uma Instrução Leonística, que deve primar, acima de tudo, pela flexibilidade.

Ser breve - "Antes sejamos breve que prolixo" (J. de Barros). Este é o exemplo de uma regrinha de Português contida na velha Gramática Expositiva de Eduardo Carlos Pereira, na qual estudei nos idos de 1943 a 1949, que assim prescreve: "Quando os pronomes NÓS e VÓS são empregados por EU e TU, pode o predicado nominal ir para o singular, concordando com a idéia" . Aliando brevidade, precisão e concisão qualquer companheiro terá possibilidade de fazer uma bela Instrução Leonística.


CL Nelcy Pereira Guimarães * CL Nelcy Pereira Guimarães
EGD 1972/73 do antigo L-20 (Sul de Minas Gerais), hoje incorporado ao LC-12.
Assessor Distrital de Leonísmo
Assessor de Racionalização dos Distritos - Estudos do DMLC
Associado do Lions de Volta Redonda - 17 de Julho - LC-1 (RJ)
E-mail: nelcy.guimaraes@superonda.com.br
Não deixe de ler também...
O pequeno Júlio Macarini Pacheco, no momento em que recebe o título de Companheiro de Melvin Jones

Bebê é o mais jovem companheiro de Melvin Jones do mundo

Júlio Macarini Pacheco, com apenas três meses de idade, tornou-se o mais jovem Companheiro de Melvin Jones do mundo! A ideia foi do novo Presidente do Lions Clube Novo Hamburgo - Terceiro Milênio, CL Vilnei Edmundo Lenz, que assumiu a presidência na época do nascimento do bebê, coincidentemente filho de seu antecessor no cargo, Jardel da Mota Pacheco.

 
 
 
 
Clique para voltar à primeira página

Choose other language
Escoja otro idioma
Click the UK flag for a message in English   Haga click en la bandera de España para un mensaje en español

Logotipo I Believe, do Presidente Internacional

Instruções Leonísticas
Clique para voltar à primeira página
Conteúdo relacionado:
Digite abaixo o que procura no site Instruções Leonísticas:
 

Participe do site Instruções
Leonísticas: envie artigos, notícias, links ou eventos.
Clique aqui e veja como.


Sites em destaque:

Leia a coletânea Instruções Leonísticas Motivacionais Logotipo Rosane de las Américas
Visite o site da
Dir. Internacional Biênio 2008/2010 Rosane Vailatti


Visite a Fundação Lions Internacional

Visite o site da AGDL e tome conhecimento de todas as notícias e assuntos atinentes à associação
Associação dos Governadores dos Dist. Múltiplos L
Conheça o Clube Filatélico do Lions Internacional que congrega filatelistas associados dos Lions Clubes em todo o mundo
LISC: Lions International Stamp Club

Leia aqui artigos sobre jornalismo, educação, tecnologia e as combinações disso tudo
A Apple deveria tirar seus advogados de cena e deixar seus engenheiros liderarem a disputa com a concorrência. Ainda mais se pensarmos que a mesma Apple já foi uma "pirata".